Greenk Redação
1 de agosto de 2017 - 16h48

 

 

Há 6 anos que “Game of Thrones” é a série mais pirateada da televisão. Mas a febre vai muito além dos números brutos.

 

 

A pesquisadora Abigail De Kosnik, da Universidade da California, procurou quantificar através de ciência computacional – um projeto chamado alpha60 – o que realmente significa esse título de série mais pirateada. O timelapse do vídeo acima procura demonstrar o volume de dados versus tempo que “Game of Thrones” gera nas redes de torrent.

 

 

 

De Kosnik monitorou 72 torrents relacionados a série da HBO logo após a estreia da sétima temporada. Dos 12.2 milhões de espectadores do episódio “Dragonstone”, 1.77 milhão veio de fontes ilegais.

 

 

O relatório do estudo traz diversos outros padrões de downloads, incluindo as cidades mais pirateiras da série. Duas brasileiras aparecem no ranking: São Paulo em terceiro lugar, e Rio de Janeiro na 17ª posição. Confira o Top 10 abaixo:

 

 

1. Seul, Coréia do Sul
2. Atenas, Grécia
3. São Paulo, Brasil
4. Guangzhou, China
5. Mumbai, India
6. Bangalore, India
7. Shanghai, China
8. Riyadh, Arábia Saudita
9. Delhi, India
10. Beijing, China

 

 

Fonte: B9

Compartilhe

  • Temas

  • games
  • sustentabilidade
  • economia circular
  • e-lixo
  • esl
  • e-sport
  • drones
  • drone zone
  • cosplay
  • cosplaybr
  • mirante lab
  • arena do conhecimento
  • editora abril
  • palestra
  • influenciadores
  • youtube
  • greenktechshow
  • bienaldoibirapuera
  • musica
  • video
  • hit
  • desafio
  • beyou
  • terror
  • Cineclick
  • O Iluminado
  • A Autópsia
  • Os Outros
  • Silent Hill

Comente

“Greenk informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de Greenk gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”